QRA - Indicativo da estação

Não confunda QRA com o nome do operador

Quer perguntar o nome do radioamador ?
Fácil... Pergunte então "Qual o seu nome ?"

Quer perguntar o indicativo do radioamador ?
"Qual seu indicativo ?" ou "Qual o seu QRA ?"


O Radioamadorismo: É o serviço de telecomunicações de interesse restrito, destinado ao treinamento próprio, intercomunicação e investigações técnicas, levadas a efeito por amadores devidamente autorizados, interessados na radiotécnica unicamente a título pessoal e que não visem qualquer objetivo pecuniário ou comercial.  
   
   

 

 

 

DICA IMPORTANTE !!!     -     Deseja solicitar alguém na frequência ?

Informe sempre quem está chamando.
Errado: "José Carlos está por aí ?"
Errado: "PY5XYZ está pela frequência ?"

Certo: "PY5XYZ, é PY5KLM quem solicita !"
Certo: "PY5XYZ José Carlos, é PY5KLM Cláudio quem solicita !"
Ou simplesmente:
Certo: "PY5XYZ, PY5KLM"

O seu indicativo é sempre o último que você pronunciará

Quando se passa a palavra a alguém ou quando se solicita alguém na frequência, o solicitado é sempre o primeiro e quem solicita é sempre o último.

Por isso não há dúvida quando alguém chama na frequência:
"PY5XYZ, PY5KLM"
que quem está chamando é PY5KLM !

Ao passar a palavra para outro radioamador, siga o mesmo princípio. O primeiro indicativo é para quem se está passando a palavra (quem vai falar em seguida) e o último indicativo é quem está passando a palavra (quem está falando).

Entre o primeiro e último indicativos, pode-se informar quem mais está na frequência.

Exemplo:
PY5XYZ, PY5KLM (PY5KLM passa a palavra para PY5XYZ)

PY5XYZ, PY5AZZ, PY5BXX, PY5KLM

No exemplo acima, quem está terminando de falar é PY5KLM e quem vai falar em seguida é PY5XYZ. Os radioamadores PY5AZZ e PY5BXX foram citados para que se saiba (quem ouve a frequência), que eles também estão participando da "rodada" (bate-papo).

 


Como é a pronuncia ?!?
ICOM: A pronúncia correta é " áicom "
 
E o código fonético em contestes internacionais ?!?
Gera muita confusão a cópia de indicativos em contestes internacionais. Dependendo da região, adota-se código fonético pouco utilizado no Brasil:
B - Bravo, substituído por Baker (" bêiker ") por americanos
D - Delta, ou Denmark (Dinamarca)
H - Hotel, ou Honolulu, ou Henry (" rênrí ")
J - Juliet, ou Japan (" Japén ")
K - Kilo, ou Kilowatt (" quilouóti ")
N - November, ou Norway (" nór-uêi", Noruega)
O - Oscar, ou Ocean (" ôuchean ")
Q - Quebec, ou Queen (Rainha)
U - Uniform, ou Union (" iúnion ")
Y - Yankee, ou Yokohama (" iocorrama ")
Z - Zulu, ou Zanzibar


ORIENTAÇÕES PARA QUEM DESEJA INGRESSAR NO RADIOAMADORISMO


Como proceder para receber meu "COER" - Certificado de Operador de Estação de Radioamador ?

>> RESP: Para o Serviço de Radioamador é necessária a realização de testes e avaliação da capacidade operacional e técnica para operação da estação, devendo o candidato procurar os Escritórios/Unidades Operacionais da Anatel (endereços encontrados em http://www.anatel.gov.br) ou as Diretorias do LABRE (Liga Brasileira de Radioamadores), nas capitais dos Estados.
Para fazer os testes, o interessado deve consultar o endereço eletrônico da Anatel (http://sistemas.anatel .gov. br/SEC), seus Escritórios Regionais, suas Unidades Operacionais ou, ainda, as Diretorias da LABRE (Liga Brasileira de Radioamadores), nas capitais dos Estados, para verificar o calendário anual de realização de testes para obtenção do Certificado de Operador de Estação de Radioamador – COER.

A documentação necessária para inscrição para provas e posteriormente quando aprovado, para solicitação do COER, poderão ser informados pela própria ANATEL. Endereço da ANATEL em Curitiba: Rua Vicente Machado, n° 720 - Batel - CEP 80420-011 -  (41) 3219-7000.

A Labre PR também poderá lhe fornecer informações sobre a documentação e o calendário de provas para o Estado do PR.

Andei lendo no site da Anatel para tirar a licença e achei bem complicado, ou acabei por não entender.
Terei que realizar uma prova ? Ela é difícil ? Não entendo nada de cógido morse e etc .
>> RESP: Sim, terá que se submeter a provas. Não, não é difícil. Existem 3 classes no radioamadorismo e para cada uma delas você obterá acesso a determinadas frequências para transmissão:
Classe C - Não é necessário se submeter a prova de código morse. Você fará provas de técnica e ética operacional e legislação de telecomunicações. Poderá operar nas bandas de VHF (50MHz, 144MHz) e UHF (430MHz) e em parte das bandas de HF (ondas curtas abaixo de 30MHz).
Classe B - Fará provas da classe C e mais transmissão/recepção em código morse e conhecimentos básicos de eletrônica e eletricidade. Terá acesso as frequências da classe C e a mais algumas outras da banda de HF.
Classe A - Somente 1 ano após ter obtido a classe B, fará provas de conhecimentos de eletrônica e eletricidade.

O interessado em ingressar para o radioamadorismo poderá fazer as provas para entrar na Classe C ou diretamente na Classe B (essa última exige aprovação em transmissão e recepção de código Morse).

Você deverá adquirir apostilas para estudar ou frequentar aulas. A Labre PR possui essas apostilas e ministra aulas. No caso de moradores do interior do Estado é mais difícil frequentar as aulas, mas poderá facilmente estudar pelas apostilas e fazer as provas em cidades do interior ou mesmo na capital.
A Anatel poderá informar quando fará provas na sua região.

Veja o link em: http://www.arpapr.org.br/anatel_testes_compr_capacid_optec.html

Que taxas terei que pagar?
>> RESP: A Anatel não cobra taxas para realização das provas. Somente se aprovado você receberá boletos para pagamento do seu registro de COER - Certificado de Operador de Estação de Radioamador e da taxa anual de licença de sua estação. Os valores são baixos.

Gostaria de usar o rádio no carro para quando viajar e em casa. Tenho que ter 2 licenças ? Quais seriam as melhores antenas para os dois casos ?
>> RESP: Se você utilizar somente um HT, que é um rádio para operação móvel (ou um rádio instalado no carro), poderá adquirir somente a licença tipo 6 (móvel). Se instalar antenas em sua residência, deverá ter uma licença fixa. Se utilizar de ambos os modos terá que ter duas licenças de estação, uma para móvel e outra para fixa no endereço de sua residência.

Normalmente temos uma licença móvel e outra fixa. O custo anual por estação é muito baixo.
Quanto as antenas, existem as apropriadas para operação móvel. Normalmente em VHF na banda de 2m, a antena móvel poderá ter 1/4 de onda (menos de 50cm). Para o uso base e contato local ou via repetidoras, pode-se utilizar antenas verticais. Para alcançar maiores distâncias poderá utilizar antenas direcionais cujo posicionamento será realizado através de rotores.

Quanto ao alcance, pois na minha cidade serei o primeiro a ter um rádio VHF.
Consigo conversar com pessoas de outras cidades e países ?
>> RESP: O alcance depende da banda de frequência utilizada. Em VHF (banda de 2 metros de comprimento de onda, frequência de 144MHz)), o alcance é o visual e portanto o contato é local. Quanto mais alto você estiver, maior o alcance, mas nunca irá ultrapassar o alcance visual.
Com boas antenas e eqto com 50W de potência, pode-se considerar o alcance médio de 50km.
Com o uso de repetidoras, conseguimos prolongar esse alcance. Por exemplo, a ARPA possui diversas repetidoras mas especialmente uma delas, a do Morro do Caratuva (70Km de Curitiba), está a 1860m de altitude o que permite muitas vezes comunicação entre Curitiba e São Paulo.
Para comunicação com outros países você utilizará bandas de HF (ondas curtas). Lembre-se que já na classe C você poderá utilizar diversas bandas no HF. A banda de 10m (frequência de 28MHz) é uma delas e permite fácil contato com países de outros continentes.
Cabe lembrar que o PX tem sua faixa de frequências em 11m (27MHz), mas é limitada a uma potência máxima de 21Watts. Mesmo com essa potência mas utilizando boas antenas direcionais pode-se atingir outros países. No radioamadorismo é possível utilizar-se de até 1000 Watts Classe A e B ou 100W na Classe C) o que resulta num alcance extremamente maior.

Sei que para rádio na faixa do cidadão, existem amplificadores (as botinas, e sei tb que são ilegais ) e para a faixa dos 2m, tem amplificadores tb ?
>> RESP: Sim, há amplificadores. Normalmente os equipamentos possuem potência de 5W para HT (portátil) e 50W para base/móvel. Os amplificadores para VHF tem potência de saída normalmente de 100W a 200W.

Gostaria de estar filiado a algum clube, associação, entidade ou algo que eu possa fazer parte junto com outras pessoas, para trocar experiências, tirar dúvidas. O que vc me indica neste âmbito ?
>> RESP: É importante se associar a entidades do radioamadorismo. São as entidades que promovem a disseminação do hobby e são os associados quem as mantém. Não há grupo ou associação sem a participação efetiva de radioamadores. A ARPA é uma associação que se preocupa com o crescimento técnico do radioamador e dessa forma temos realizado palestras e eventos. Radioamadorismo não se reduz a falar no rádio, existem muitos desafios nas atividades de contatos a longa distância (DX) visando a obtenção de diplomas (nacionais e internacionais), além das competições (contestes). Estamos dando ênfase a essas atividades como forma indireta de levar o conhecimento da técnica aos novos radioamadores.
Gostaríamos muito de tê-lo como associado.
A Labre é a entidade que representa os radioamadores perante outros países. Cadas país possui uma entidade reconhecida internacionalmente. É através dela que você poderá enviar e receber seus cartões QSL (cartões de confirmação de contatos) sem ter que enviar um a um ao destinatário via correios.
O radioamador não é obrigado a ser filiado a nenhuma associação ou entidade, assim como pode ser filiado a uma ou mais.

Quanto as frequências.. são como nos rádios da faixa do cidadão que eu escolho o canal para falar ?
>> RESP: Na faixa do cidadão os rádios possuem canais, cada qual corresponde a uma frequência. No radioamadorismo não existem canais (a não ser na banda de 60m que ainda não é homologada no Brasil) e você coloca qualquer frequência dentro da faixa que lhe é permitida.

Existe uma espécie de " lista telefônica" onde as pessoas são facilmente encontradas pelas frequências, ou seja as pessoas operam sempre na mesma frequência para serem encontradas ?
>> RESP:  Sim, há o que denominamos de DX Cluster, uma rede na Internet onde um radioamador que fez um DX (contato a longa distância) lança um "SPOT" (informação no cluster) dizendo com quem, em que frequência e as vezes indica uma mensagem.
Isso ocorre a nivel internacional com a finalidade de facilitar o contato com novos países.
Acessando um dos nodes (ponto de entrada) do cluster você pode ter uma idéia da movimentação ao redor do mundo.

Na página "Atividades DX" da ARPA (http://www.arpapr.org.br/atividades_dx.html) tem um acesso a um "WEB CLUSTER" denominado "DX FUN".